16.04.2019

Quem faz parte ou pensa em entrar no mundo das moedas digitais, tem como uma das primeiras informações o termo blockchain. Mas afinal, o que é isso?

Apesar de inicialmente parecer algo confuso, o funcionamento do blockchain é simples e assim que você passar a entendê-lo a sua segurança e confiança para investir em moedas digitais será bem maior.

Blockchain é uma tecnologia inovadora que não é controlada por nenhuma pessoa em específico ou empresa e que está por trás das moedas digitais, tornando as transações seguras e fazendo esse mercado girar.

Seu funcionamento é bem simples e pode ser comparado a um livro contábil, o qual registra todas as movimentações (entradas, saídas, datas, valores e transações) de forma confiável, segura e transparente.

Ao traduzir o termo “ao pé da letra”, blockchain significa corrente de blocos, ou seja, todo as informações armazenadas são colocadas dentro de blocos, como uma sessão de uma biblioteca, esses blocos possuem data e registro de tempo e a cada período é formado um novo bloco de informações. Todos os blocos são unidos e dependentes uns dos outros.

O que torna o Blockchain seguro?

Ao contrário dos bancos e transações comuns que fazemos no dia a dia que possuem uma cadeia centralizada (todas as informações então em um único local), a tecnologia blockchain faz uso de uma cadeia descentralizada, ou seja, todas as informações armazenadas estão espalhadas por milhares de computadores por todo o mundo.

Todos os computadores que fazem parte da rede possuem uma cópia completa de todas as informações e transações que são realizadas nos blocos.

As informações contidas em um bloco possuem um resumo que é chamado de hash e cada bloco é formado por: informação + hash do bloco anterior + hash do bloco atual. Dessa forma, o hash do bloco atual deve ser compatível com o hash do bloco anterior, fazendo assim a ligação entre eles. Lembrando que a cada 10 minutos é criado um novo bloco de dados.

Para modificar uma informação, fraudar ou roubar dados, é necessário conseguir acessar o hash de cada bloco existente, sem descobrir cada hash é impossível que alguma alteração seja feita, fato que torna praticamente nulo o sucesso na tentativa de ataque ao blockchain.

Quanto maior for a quantidade de blocos existentes, a impossibilidade de um ataque também se torna maior.

Devido a sua alta segurança de dados, o blockchain já está passando a ser usado para outros segmentos além das transações das criptomoedas, servindo de controle para dados médicos, cadeias de suprimentos e até mesmo gerando interesse em redes bancárias, empresários, universidade e governos.

Max Cavalheiro

CEO-Fundador Gocap

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *